30 de mai de 2011

Campeonato brasileiro: Desafios


São 20 times, 38 rodadas e, para os grandes clubes, o objetivo é comum: conquistar o título de um dos campeonatos mais reconhecidos do mundo.

O Galo começou o brasileiro com o pé direito. Desde 1990 não vencíamos as duas primeiras partidas do campeonato. A questão é: o Brasileirão não é conhecido como o campeonato mais disputado do mundo à toa. Esse é o campeonato mais equilibrado que há. Os clubes que se darão melhor serão aqueles com um elenco capaz de aguentar os desafios, principalmente com contusões e saída de jogadores, até o fim do ano. Além disso, os últimos brasileirões mostraram que vencer em casa e conquistar o máximo de pontos fora é fundamental.

Dessas ultimas coisas que falei, pra mim, o Galo ainda peca um pouco na questão do elenco. Algumas contratações ainda devem ser feitas pelo presidente Alexandre Kalil que, como mesmo disse, aprendeu muito com os erros de contratações do ano passado. Então que venham contratações, mas que esses jogadores cheguem sabendo da importância de um bom campeonato esse ano. Esses jogadores precisam da confiança e liderança de um rever, do talento de um Felipe Soutto e da vontade de um Magno Alves.

E o que me deixa animada pra esse brasileiro é saber que temos um técnico vencedor e não um Roth da vida igual em 2009 quando chegamos, relativamente, perto do título. Não estou falando aqui que vamos ser campeões, até porque o brasileiro é muito longo e tudo pode acontecer, mas, se eu, torcedora do Atlético Mineiro, não acreditar, quem mais vai?

Então agora é apoiar, lotar a arena sempre (desnecessário falar isso quando se trata da torcida mais apaixonada do país) e aquecer os pés antes dos jogos. Que os nossos guerreiros joguem cada jogo como uma decisão, porque cada ponto nesse campeonato faz muita diferença la na frente. Que o Dorival continue com o seu trabalho excelente, principalmente em relação à base que, como eu sempre disse, é essencial para o clube.

E agora eu queria deixar um recado à massa: Não ligue se a imprensa não colocar o Galo entre os favoritos. Não liguem se ela não da valor ao verdadeiro trabalho que está sendo feito. Isso tudo e tática pra que aumentar o ego dos times do eixo. E, sinceramente, o que menos precisamos no Galo agora é de ego. Vamos fazer que nem bons mineiros: comeremos pelas beiradas e, se deus quiser, esse o Galo vai fazer essa massa feliz. Ê GALO!

Abraços!

0 comentários:

Postar um comentário