22 de nov de 2015

Galo x São Paulo - A espera de 2016

Já classificado para a fase de grupos da Libertadores, o resultado só serviu para manter o Galo como único mineiro na competição continental no ano que vem. 

Jogo onde o Galo jogou 50% do que sabe, não correu, não lutou e somente jogou pra frente. Tiago e Jemerson por vários momentos salvaram o time, mas 90 é muito tempo para apenas 2 jogadores se defender. Somado a belos chutes do adversário e um pênalti inexistente, o Galo saiu derrotado em um jogo onde também não mereceu vencer. 

Jogo a parte, Levir e o time já estão pensando no ano que vem. Levir não sabe se fica, e já teve seu belo trabalho manchado pelos jogadores no segundo turno. Marcos Rocha, Leo Silva, Carioca, Giovanni, Dátolo, Pratto e até Luan fizeram um segundo turno muito abaixo do que podem apresentar. Tudo isso somado aos fracos jogadores do elenco, que no primeiro turno jogaram tudo o que sabiam e até o que não sabiam, fez com que o time fosse muito irregular. O Galo jogou pelo título, e no momento em que o título parecia distante os jogadores perderam toda a motivação. Jogos contra Santos e Sport foram pontos fora da curva, um jogo onde dentro da própria partida o time entregou e desistiu de lutar. 

Levir também desistiu, apesar de tudo que fez, não teve o trabalho reconhecido e por isso se entregou ainda mais a sua aposentadoria. Ele que já tem quase 30 anos de carreira, não necessita mais passar por situações como essa. E sim, não precisa de pressão, não precisa de dinheiro, mas o Galo não pode se dar ao luxo de jogar sem pressão. O Galo atingiu o patamar que lhe foi tirado por péssimas gestões, e agora volta a jogar por título, correr por títulos e precisa ser pressionado. 

Os caminhos de Atlético e Levir se cruzaram em um momento onde o Galo precisava muito!! Presidente, jogadores e torcedores estavam acomodados com o título da Libertadores e Levir trouxe humildade a todos nós. 

Hoje os caminhos de Atlético e Levir parecem não se encontrar mais. Hoje o treinador está acomodado e o Atlético tem sede de mais títulos, por isso necessitamos de um treinador que venha para conquistar e que não aceite nada mais do que a perfeição. 

Victor (6,0): Falhou no terceiro gol e apesar de grandes defesas, não conseguiu impedir a derrota.

Marcos Rocha (5,5): Saiu pro jogo e pouco marcou. Errou tudo que tentou quando foi ao ataque e na defesa assistiu o adversário passear pelo seu setor.  

Tiago (7,0):  Jogou bem e cortou todas as bolas em que esteve na dividida. 

Jemerson (7,0):  Foi cirúrgico em vários lances, onde sozinho conseguiu segurar o ataque adversário. 

Patric (5,5): Fez um jogo horrível onde foi facilmente driblado e errou passes, cruzamentos e posicionamento. 

Rafael Carioca (6,0): Não conseguia fazer a bola chegar ao ataque. Sem opção de passe, foi facilmente desarmado. 

Leandro Donizete (6,0): No mesmo nível do companheiro.

Dátolo (6,5): Não conseguiu ser criativo, mas sua péssima partida foi salva com um gol.

Giovanni Augusto (6,0): Não conseguiu jogar, ficou preso a marcação e foi facilmente desarmado. 

Luan (6,5):  Parecia desatento. No primeiro tempo Luan não conseguiu acertar passes e cruzamentos, já no segundo marcou o gol e foi substituído logo depois. 

Pratto (6,0): Pouco finalizou ou recebeu a bola em condições de chegar ao gol. Saiu sem finalizar a gol e foi muito prejudicado pelo fraco desempenho do time. 


Foto: GazetaPress


Substituos:

Carlos (6,0): Não tocou na bola e nada produziu.


Thiago Ribeiro (6,5): Entrou bem, deu uma assistência, mas nos outros contra ataques não conseguiu repetir a bela jogada do segundo gol.

0 comentários:

Postar um comentário