9 de nov de 2015

Galo 1 x 0 Figueirense - Avaliação individual dos Jogadores

Agora sim, com a Libertadores garantida o Atlético pode enfim se dar ao luxo de jogar sem garra e vontade. O que não pode acontecer nunca é desistir antes de lutar e vimos isso nos dois últimos jogos onde o Galo já entrou em campo derrotado. 

Para a sorte do torcedor que ficou até o fim no Independência domingo passado e ainda cantou o hino ao fim do jogo, o Figueirense é medíocre e conseguiu a proeza de perder para o Galo jogando 10% do que sabe e pode render. Que a vitória e as próximas que virão até o fim do ano possam servir de motivação para entrar nas 6 competições do ano que vem com um apetite redobrado. 

Que Levir e a comissão técnica encontrem motivação para iniciar mais um ano no futebol e buscar novos títulos e novas conquistas. O atleticano agora tem sede de títulos e grandes jogos, não sabemos mais nos contentar com vices campeonatos e participações em grandes competições. Nós queremos ganhar!!!

E que pensando sempre em ganhar e em ser melhor, a diretoria possa enfim investir um pouco mais no futebol e que o Mineirão possa ser usado mais vezes para arrecadações maiores e para que os torcedores apaixonados possam acompanhar o Galo mesmo com a crise financeira do país. 

O jogo. O Galo entrou em campo a fim de matar logo o jogo, mas pouco chutou a gol e sempre sem direção certa. Aos poucos o desânimo bateu e o adversário cresceu, pois precisava dessa vitória para ganhar não só os 3 pontos, mas o dinheiro de premiação oferecido pela diretoria Corinthiana para sacramentar o título. 

O jogo foi a partir dos 15 minutos do primeiro tempo até o final do segundo tempo com apenas um time querendo a vitória, e esse não foi o Galo. Foi sonolento e errou tudo que tentava. Os dois laterais perdidos em campo. Um sonhando com a Europa e o outro com a seleção. O ataque estava desconcentrado e não conseguia trocar mais do que três passes.

Apenas três jogadores se destacaram em meio a tanta sonolência e displicência: Leandro Donizete, Jemerson e o santo Victor. 

No fim do jogo, quase no apagar das luzes, Dátolo apareceu em campo e conseguiu finalizar com tranquilidade para o gol. Destaque da bela jogada entre Patric e Luan, que nos minutos finais resolveram jogar.

Galo venceu, mas não convenceu. E se serve de alento o líder levou baile dentro de casa do todo poderoso Coritiba. O importante em pontos corridos é não perder, e que esse jogo sirva de lição de que podemos bater qualquer adversário quando jogamos juntos e concentrados. 


Victor (8,0): Salvou em vários lances e impediu não só uma derrota, como uma goleada que poderia ter resultado pela falta de vontade do restante do time. 

Marcos Rocha (5,5): Saiu pro jogo e pouco marcou. Errou tudo que tentou quando foi ao ataque e na defesa assistiu o adversário passear pelo seu setor. Saiu de campo e o time equilibrou o jogo. 

Léo Silva (7,0):  Jogou bem e cortou todas as bolas em que esteve na dividida. 

Jemerson (8,0):  Foi cirúrgico em vários lances, onde sozinho conseguiu segurar o ataque adversário. 

Douglas Santos (5,5): Convocado por Dunga para a seleção brasileira, Douglas fez um jogo horrível onde foi facilmente driblado e errou passes, cruzamentos e posicionamento. 

Rafael Carioca (7,0): Tentou controlar o jogo, mas sozinho não conseguia fazer a bola chegar ao ataque. Sem opção de passe, foi facilmente desarmado, mas conseguia sempre se recuperar. 

Leandro Donizete (7,5): Jogando com a raça de sempre, fechou os espaços e garantiu o zero no placar. Quando saiu para o ataque criou as principais jogadas e quase fez um bonito gol ao chutar de fora da área.

Dátolo (6,5): Não conseguiu ser criativo, mas sua péssima partida foi salva com um gol no fim.

Giovanni Augusto (6,0): Não conseguiu jogar, ficou preso a marcação e foi facilmente desarmado. 

Luan (6,5):  Parecia desatento, e só conseguiu produzir quando Patric entrou pelo lado direito. No primeiro tempo Luan não conseguiu acertar passes e cruzamentos, o que fez com extrema qualidade no fim da partida, ao achar Dátolo livre dentro da área. 

Pratto (6,0): Pouco finalizou ou recebeu a bola em condições de chegar ao gol. Saiu sem finalizar a gol e foi muito prejudicado pelo fraco desempenho do time. 

Imagem: Cristiano Andujar/AGIF/Estadão Conteúdo

Substituos:

Patric (6,5): Entrou bem e corrigiu os defeitos do lado direito. Fez uma bela jogada com Luan que resultou no gol da vitória.

Thiago Ribeiro (6,0): Pouco pegou na bola, mas quando a teve nos pés, somente conseguiu tocar para trás ou para o lado. Pouco objetivo, não acrescentou nada na partida.



0 comentários:

Postar um comentário