20 de out de 2015

Galo x Sport - A essência alvinegra

Resultado longe do ideal e postura diferente do que precisaria de ser. Time entrou na pilha e não teve maturidade em buscar o resultado. 

Vexame, vexame o Galo terminar em segundo pela segunda vez em 4 anos. E após ficar 12 anos longe da libertadores chega a marca de 4 participações seguidas: vexame para um clube tão grande como o Galo. 

Não, não é vexame. O resultado foi espantoso, mas por falta de entrega e de poder de acreditar. Os jogadores e comissão técnica são os únicos a não acreditar na própria capacidade de reverter um resultado. Enquanto a torcida criou a imagem de um time excepcional e de qualidade inigualável, a diretoria e comissão trabalhou com os pés no chão, sabendo todas as deficiências que tinhamos, e que o que aqui conquistamos é fruto de um belo trabalho, de uma entrega e qualidade acima do padrão brasileiro. Mas para a nova e exigente parte da torcida do Galo, não podemos ser menos do que os melhores do país. 

Entendo ambos os lados: Os que trabalham com humildade para chegar ao topo, que ralam e possuem o dom da paciência para esperar a hora certa. E também aqueles que entendem que o Galo não pode ser apenas o segundo melhor time do país, que deve sempre ser o maior e o melhor. Mas espero que ambos os lados se lembrem de se unir sempre a cada 90 minutos e lembrem-se apenas de apoiar o Galo para a vitória. 

Ao fim de cada partida, todos tem o direito de comentar o que lhe convém, mas durante os jogos, só uma coisa interessa: O Galo está em campo e eu celebrarei a minha própria existência haja o que houver!

Parabéns a Galoucura e ao Movimento 105 pela belíssima festa em Pernambuco, que não se calaram em nenhum momento e cantaram como se não houvesse amanha! Essa é a essência alvinegra!

Victor (5,5): Falhou em 2 gols.  

Marcos Rocha (6,0): Marcou mal e não conseguiu produzir nada ofensivamente.  

Edcarlos (5,5):  Foi estabanado e cometeu vários erros

Jemerson (6,5):  Único a se salvar, apesar dos 4 gols sofridos, Jemerson evitou no mínimo outros 20 gols do adversário. Foram cortes atrás de cortes e ele parecia jogar sozinho na defesa. 

Douglas Santos (5,0): Desistiu de jogar após a expulsão do Carlos.

Rafael Carioca (6,0): Foi conivente com a displicência dos companheiros e se entregou.

Leandro Donizete (6,0): Não teve a fome do leão que sempre é.

Carlos (4,5):  Errou tudo que tentou e com apenas 20 minutos se descontrolou feito criança e prejudicou toda á equipe.

Giovanni Augusto (6,0): Sempre que tocava na bola estava sozinho entre 4 defensores. Deu a lógica, levou a pior em todos os lances por falta de companhia no ataque.

Patric (6,0):  Começou mal, continuou muito mal e errando tudo. No fim, resolveu arriscar e quando foi pra cima, conseguiu lvar perigo e até sofrer um pênalti.

Pratto (6,0): Não finalizou. Ficou prejudicado com um companheiro a menos no ataque devido a expulsão e a falta de outros companheiros ao ataque devido a má vontade e displicência. 

Imagem: lancenet.com.br


Substitutos: 

Cárdenas (6,0): Entrou com vontade de mostrar futebol, mas sozinho não pôde fazer nada. 

Josué (6,0): Entrou e jogou até de centro avante. Ao menos,se dedicou mais que os companheiros.

Thiago Ribeiro (6,0): Bateu um pênalti e só. Terminou o jogo com 3 passes errados em 5 tentados e uma finalização certa. 

0 comentários:

Postar um comentário