10 de ago de 2015

Galo 0x0 Goias - Crônica, análise tática e avaliação dos jogadores

Um ponto fora da curva. É assim que os atleticanos esperam que esse jogo de ontem tenha sido. Após várias rodadas de bom futebol, ontem o Galo abusou dos erros, deu espaços (assim como vinha dando espaços em jogos anteriores, mas foi coberto pelas vitórias) para que o adversário explorasse. Mas a sorte estava ao lado do líder, que mesmo com uma péssima partida e dando chance do adversário golear o time, o Galo contou com o campo ruim e a falta de pontaria do Goias, um dos piores times do campeonato. 

O jogo começou com três jogadores no meio campo e o Thiago mais enfiado no ataque, mas aos poucos o desenho foi pra normalidade: Cárdenas isolado na direita, Guilherme perdido no ataque e o Thiago Ribeiro perdendo gols pela esquerda. Giovanni e o resto do time em sua posição de origem, que não significa que cumpriram bem o seus papéis. Os laterais foram um ponto de desequilíbrio, pois avançaram juntos ao ataque e deixaram a defesa desprotegida. E quando subiram ao ataque, o desastre foi maior: erros de passes, cruzamentos e dribles. 

Os volantes tiveram uma missão espinhosa, ligar a defesa ao ataque e muitas vezes jogaram para os laterais, que foram muito mal. O campo não ajudou em nada ao jogador que mais acerta passes no campeonato, Rafael Caioca. Donizete que não é tão bom como o companheiro, teve ainda mais dificuldades, que afetou também Giovanni Augusto e Cárdenas. Giovanni, líder em assistências após a saída do Patric, não conseguiu colocar nenhum companheiro em um bom lance para finalizar. Cárdenas bem que tentou, correu e marcou, mas não conseguiu criar e ainda sem preparo físico não aguentou jogar a partida inteira. 

No ataque, Guilherme não conseguiu acertar domínio de bola, passes curtos e lançamentos. Guilherme, que pela primeira vez foi titular, foi um desastre em campo. Thiago Ribeiro também foi mal, não em passes e arrancadas, onde foi o mais lúcido e mais próximo do gol, mas desperdiçou as chances que teve na frente do gol.

O jogo foi horrível, mas uma derrota onde não merecíamos vencer. Podemos e vamos jogar mais do que isso e ficou claro que o time não é imbatível, assim como todos os outros no campeonato. A força do Galo está no grupo, no time bem treinado e na união com a torcida, que jogando juntos dentro de casa, podemos ser imbatíveis. Que a Massa não se iluda com liderança no primeiro turno, que não se abata com as derrotas e continue o princípio de todo atleticano: O Galo acima de tudo! 

Aqui é Galo! E vamos juntos para mais uma batalha!!


Victor (7,0): Foi seguro e salvou o Galo da derrota. Mais uma boa partida do Santo.

Marcos Rocha (6,0): Prejudicado pelo gramado irregular, forte sol e também contagiado pelo nevrosismo de todo o time, Marcos Rocha perdeu muitas jogadas, errou passes e dribles, deixando a defesa aberta.

Leo Silva (7,5): Tentou chutões para evitar errar passes na defesa, e seus desarmes cruciais garantiram o empate atleticano.

Jemerson (7,5):   Ao mesmo nível do companheiro, desarmes perfeitos que garantiram o 0 no placar do adversário. 

Douglas Santos (6,0): Erros infantis na saída de bola, cruzamentos mal feitos e espaço dado ao adversário fizeram Levir substituí-lo no início do segundo tempo.

Rafael Carioca (6,5): Não comprometeu, fez mais do mesmo, tentando ligar a defesa ao ataque. 

Leandro Donizete (6,5):   Ajudou na marcação e na cobertura aos laterais. Errou passes, mas ele mesmo recuperava a bola. 

Giovanni Augusto (6,5): .Melhor homem de frente, não conseguiu ser decisivo nos passes, errando muitas jogadas. Faltou ajuda dos companheiros e um homem de frente para receber seus lançamentos. 

Cárdenas (6,0):  Errou muito assim como todo o ataque.

Thiago Ribeiro (6,0) Perdeu as melhores chances do time no jogo.

Guilherme (5,5): Erou tudo o que tentou e não aproveitou a chance dada pelo Levir. 



Imagem: Francisco Stuckert/Agêncai Estado

Substitutos:

Pedro Botelho (5,5): Errou tudo que tentou pela esquerda. Nada deu certo e só piorou o que já estava ruim para o Atlético.

Dátolo (6,5): Entrou bem e em pouco tempo levou mais perigo ao adversário do que Cárdenas e Guilherme juntos.

Dodo (6,0): Manteve o fraco nível do ataque. 

1 comentários:

Com essas notas tão boas só empatamos com o Goias. Tirando a nota do Vitor, Leo Silva e Jemerson, eu cortaria todas as outra pela metade.

Postar um comentário