20 de jul de 2015

Galo 0 x 1 Corinthians - Crônica, saída e avaliação dos jogadores

  Conversando com amigos depois do jogo contra o Joinville, meu pensamento era de vencer todos os adversários fáceis e não perder pontos em casa. Uma eventual derrota só seria aceitável em uma guerra contra um time forte. Pois então, perdemos para o vice líder em um jogo onde a derrota veio em nossos inúmeros erros apesar de uma boa partida. 

  Enfim, boa partida do Galo e fora de casa contra o atual vice líder. Nada de pânico, mas nada de acomodar. Campeonato é longo e ainda só jogamos 1/3. Após 4 vitórias seguidas fora de casa (Avaí, Fla, Inter e Ponte Preta), Galo enfim perde uma. Em um jogo muito parecido com a derrota para o Atlético-PR, onde o Galo teve mais volume e mais de tudo contra a equipe da casa (posse, finalizações, escanteio, roubadas de bola, passes, etc). Mas isso não foi suficiente para vencer, pois a equipe não teve a mesma eficiência que vinha tendo no ataque. Time entrou em campo e com poucos minutos já dominava as ações, mas o destaque do primeiro tempo foram as falhas individuais da defesa. Em vários lances Victor ou Jemerson salvaram, mas em um contra ataque rápido e com os laterias avançados, o Galo sofreu o gol. 

  Segundo tempo o jogo foi outro. Victor não fez defesa, Corinthians não passou do meio campo. A defesa foi corrigida, mas  o ataque continuou perdendo gols. 45 minutos de pressão e bola fora. Walter, goleiro reserva dos gambás saiu como herói, porque sozinho parou o Galo, que na verdade, perdeu para ele mesmo. 


Sobre saídas. Elenco nesse momento está fraco sim, frágil do meio pra frente. É necessário entendimento de comissão técnica e direção para que os nomes certos apareçam. Mas em uma troca envolvendo Maicosuel por Douglas Santos e Carioca, o Galo sai ganhando. O empréstimo do Mago nos renderá mais da matade pelo que foi pago por ele, e ainda nos da a grana necessária para pagar as primeiras parcelas desses jogadores. 

Sobre os adversários. Nada de pânico, apesar de vários concorrentes, o Galo ainda tem time para seguir brigando no topo. A exceção de Palmeiras e São Paulo, nenhum outro time no Brasil possui várias opções para um mesmo setor. E digo ainda que em relação a defesa, o Galo possui mais opções que esses dois times, que levam vantagem em relação ao nosso ataque, até mesmo o titular. Mas o Galo tem o fator treinador, que com experiência e humildade, sabe gerir um grupo dentro e fora de campo e que no fim, pode fazer a diferença.  



Victor (6,5): Foi bem quando exigido, mas não teve culpa no gol sofrido.

Marcos Rocha (6,0): Voltando de lesão, Rocha sofreu ao enfrentar um time mais compacto e com boa saída pelo lado esquerdo. Não teve fôlego para voltar em vários lances e acabamos sofrendo gol em um desses lances.

Leo Silva (6,0): Aparentemente fora de sintonia e com passes displicentes, Leo acabou entregando várias bolas nos pés dos adversários, mas não resultaram em gol. Infelizmente no gol sofrido, não conseguiu acompanhar o atacante, perdendo na corrida ao tentar fechar o espaço dado pelo Rocha.

Jemerson (7,0): Em vários erros do companheiro, foi Jemerson que salvou o Galo de levar gols.

Douglas Santos (6,5): Jogou até bem, sabendo dosar as subidas ao ataque e a marcação junto ao Fagner. Segundo tempo tranquilo na marcação porque o adversário não atacou pelo seu lado. 

Rafael Carioca (7.0): Jogou bem mais uma vez, marcou bem e saiu jogando. Deu bons passes e no segundo tempo foi o cara na ligação entre meio campo e a defesa.

Leandro Donizete (6,5): com e mesma pegada do companheiro, Leandro jogou muito bem e mostrou que o esquema com dois volantes não deixa o time menos ofensivo.

Giovanni Augusto (7,5): Melhor em campo entre os dois times. Giovanni foi o cara das armações como deve ser e só não fez o gol de empate porque a trave não ajudou. Em outros lances, distribuiu ótimos passes, mas que não foram bem aproveitados. No fim do jogo, errou uma chance clara, após lançamento do Cárdenas.

Luan (6,5): Nem deu tempo de ver o Luan mostrar serviço. Um jogo após a sua volta, ele se choca com o goleiro e sai de campo lesionado.

Thiago Ribeiro (6,5): Participativo e criativo, Thiago tentou mas não foi feliz nas jogadas.

Pratto (6,0): Péssimo jogo do urso, que recebeu várias bolas para finalizar, mas que não conseguiu concluir no gol. Dessa vez, não foi decisivo e pesou no resultado.

Foto: Bruno Cantini (retirada do site lancenet.com.br)


Substitutos:

Carlos (6,0): Como venho falado em todos os jogos, Carlos jogando como ponta é como ver Danilinho de zagueiro. Péssimo.

Cárdenas (6,5): Entrou bem mais uma vez e deu 3 ótimos passes que não foram aproveitados. Poderia ter saído como herói, mas infelizmente seu estilo de jogo depende do bom rendimento de seus companheiros.

Guilherme (6,0): Que sempre cobra ser titular, mas quando vem entrando não corre ou briga pelo time. Parece insatisfeito e por isso não tem sido escalado com frequência.

0 comentários:

Postar um comentário