2 de dez de 2010

Ídolos da Massa

Grandes craques e equipes memoráveis fizeram da camisa alvinegra uma das mais respeitadas do Brasil e do mundo.

O maior artilheiro do Clube é Reinaldo, ficou consagrado por sua genialidade, seus dribles desconcertantes e sua vocação para o gol. Conseguiu levar o Atlético-MG a sete títulos mineiros em oito anos (1976, 78, 79, 80, 81, 82 e 83), sendo artilheiro do time e do campeonato inúmeras vezes. Em 1977, Reinaldo estabeleceu um recorde que só foi batido 20 anos depois: o de artilheiro do Campeonato Brasileiro com 28 gols em apenas 18 partidas disputadas. Pelo Atlético, o Rei - como era chamado pela massa atleticana - marcou 255 gols em 475 partidas.

Dario (211 gols), mais conhecido como Dadá Maravilha. Atuando no Atlético Mineiro entre os anos de 1968 e 1972 retornando em 1974, depois em 1978 e 1979 Dario tornou-se o segundo maior artilheiro da história do clube, com 211 gols marcados. Entre os mais importantes gols marcados pelo Galo, os atleticanos não se esquecem do segundo gol em cima da Seleção Brasileira Tri na Copa do Mundo de 70 em amistoso preparatório no final de 1969 e em que o Atlético triunfou sobre as feras (Pelé, Jairzinho, Gérson, Rivelino, etc.) comandadas por João Saldanha por 2 x 1 com o Mineirão cheio. Também não podemos esquecer do gol de cabeça que Dario fez em cima do Botafogo-RJ em 1971 que deu o primeiro Campeonato Brasileiro para o Atlético Mineiro (num triangular final disputado por São Paulo, Atlético e Botafogo). Além desses gols, os Atleticanos não se esquecem do retorno de Dario já veterano em 1979, para suprir a falta de Reinaldo contundido, e conquistar o bicampeonato Mineiro que terminaria só em 1983 com o hexacampeonato, maior seqüência em Minas Gerais na Era Profissional.


Mário de Castro (195 gols), Ex-jogador do Clube Atlético Mineiro entre 1926 e 1931. Marcou três gols na sua primeira partida disputada como profissional do Atlético, numa goleada histórica por 6x3 contra o América-MG, principal adversário do Galo na época. Ficou no Atlético até 1931 e manteve o cetro de maior artilheiro da história do clube até 1974, quando foi superado por Dario José dos Santos , o Dadá Maravilha. Sua última partida foi uma exibição de gala. O Atlético perdia do Villa Nova por 3x0, quando no segundo tempo, Mário fez 4 gols, garantindo o título de 1931. Sua última partida foi uma exibição de gala. O Atlético perdia do Villa Nova por 3x0, quando no segundo tempo, Mário fez 4 gols, garantindo o título de 1931. Foi artilheiro do campeonato mineiro de 1926 com 20 gols, e de 1927, com 27 gols. Em 1929, marcou 17 gols e dividiu a artilharia com um atleta cruzeirense. Numa época em que o futebol tinha um calendário tímido, com encontros em poucos finais de semana do ano, Mário de castro marcou 195 gols em 100 partidas, tornando assim o jogador profissional com a maior média de gols por partida do mundo, 1,95por jogo.




4 comentários:

Cabe lembrar e célebre frase de Mário de Castro, "meu futebol é só para o Atlético", sabia de sua qualidade e quem o viu jogar se admirou, quem jogou contra teve pavor, quando Ele, Said e Jairo montaram o "Trio Maldito", o Galo montou o trio de ataque mais apavorante da época e que está entre os mais eficientes da história do futebol, 459 gols.

Três dos maiores nomes do Galo! Dada era matador, já reinaldo e mario de castro eram craques!

Parabens Joice!

Parabéns Joice, ficou muito bonito.

Acessem: http://www.notigalo.com

Ótimo trabalho Joice, muito bom lembrar destes grandes ídolos da massa!

Postar um comentário