20 de jan de 2011

Guará " Perigo Louro"


Ficha Técnica

Nome: Guaracy Januzzi
Posição: Atacante

Data de Nascimento: 04 de Janeiro de 1916

Naturalidade: Ubá-MG
Data de Falecimento: 19 de novembro de 1978

Local: Belo Horizonte-MG


Guaracy Januzzi, mais conhecido como Guará, foi atacante do Galo na década de 1930 e um dos principais jogadores na história centenária do clube. Com a camisa alvinegra, fez quase 200 jogos e marcou 168 gols, média próxima a 1 gol por partida, um dos quatro maiores artilheiros de todos os tempos.

Guará aos 13 anos de idade fazia seus primeiros gols no Aimorés. Os estádios enchiam para ver o garoto louro fazer misérias diante dos grandes profissionais e aplaudir suas jogadas sensacionais.

Em 23 de setembro de 1933 se transferiu para o Clube Atlético Mineiro. O apelido Perigo Louro surgiu daquele jovem franzino, cujos passes e dribles mágicos iam invariavelmente parar nas redes. Ele fez 168 gols pelo Clube Atlético Mineiro, marca até hoje só ultrapassada por Reinaldo, Dadá Maravilha e Mário de Castro.

Aos 17 anos, Guará era considerado o maior jogador mineiro e o maior ídolo da torcida alvinegra nos anos 1930.

Sua estréia foi diante do Tupi de Juiz de Fora e fez um belo gol. Gostava do carinho com que era tratado e muitas vezes, quando deixava o campo sem fazer gols ou após uma fraca atuação, os aplausos da torcida continuavam para incentivá-lo e não faltava quem afirmasse que na partida seguinte Guará iria descontar todos os gols perdidos.

Guará tornou-se uma legenda no futebol mineiro. Seu primeiro título veio em 1936
, quando o profissionalismo já tomava conta dos clubes mineiros.

Guará costumava dizer que podia o tempo passar e outros sucessos surgirem, mas que era impossível deixar de lado o título de Campeão Brasileiro em 1936. O craque tinha 20 anos de idade e era a grande estreia do quadro alvinegro de 36, época do torneio que reuniu Atlético, Fluminense, Portuguesa e Rio Branco. O torneio foi decidido em São Paulo com um difícil 3 a 2 sobre a Portuguesa. Quando os jogadores alvinegros deixaram Belo Horizonte, a torcida estava na estação e na volta fizeram um verdadeiro carnaval.

Mas a "fama teve inveja de Guará". No dia 04 de julho de 1939, o Atlético Mineiro e o Palestra Itália (atual Cruzeiro) se enfrentavam pela segunda rodada do Campeonato da Cidade. Aos dez minutos de partida o centroavante Guará e o zagueiro Caieira, do Palestra, correram em direção à bola. Os dois saltaram juntos e se chocaram cabeça com cabeça. O jogo parou para atendimento médico dos dois jogadores, que caíram atordoados no gramado. Caieira mesmo tonto pelo choque conseguiu se levantar, mas Guará foi retirado do campo inconsciente.

Vítima de Traumatismo craniano, Guará nunca mais pôde jogar, apesar das muitas tentativas Ele não era mais o mesmo. Tinha medo de pisar no gramado. Chegou a ser contratado pelo Flamengo em 1941, mas acabou disputando apenas um jogo.

Sentindo que não era mais o Guará que a torcida sempre lembrava, encerrou sua carreira como jogador aos 23 anos e os atleticanos lamentaram por muito tempo a parada de seu grande artilheiro.

Guará sempre dizia que parou na hora certa e que essa era a razão de todos ainda lembrarem do seu grande futebol.


Em 1962, a Rádio Itatiaia criou o Troféu Guará para premiar os melhores do futebol mineiro e também como uma forma de homenagear o grande craque do futebol de Minas

"Sou um sujeito feliz e sempre grato aos atleticanos. Hoje, como ontem, o Atlético continua sendo a força do futebol mineiro...”

3 comentários:

Ele parou com 23 anos e com tantos gols, teria feito mais que mil fácil, os números mostram que Guará era um jogador fora do comum!

-- http://noticiagalo.blogspot.com

Quem nos dera termos pelo menos um q jogue parecido com esta fera no atual elenco do galãao!!

Nasci em BH, sou atleticano doente e tive a honra de estudar no colégio Anchieta, na mesma época em que as filhas desse fantástico jogador estudaram. A história desse moço jamais será esquecida por nós.

Postar um comentário